Google tradutor

Ricardo Eletro

Mulher que mandou matar o pai, com quem teve 12 filhos, é absolvida

Nesta quinta-feira (25) o júri popular absolveu uma mulher de 44 anos acusada de mandar matar o próprio pai, com quem teve 12 filhos, em Recife. Segundo o processo, o pai a submetia a abuso sexual desde que ela tinha 9 anos.
Quatro dos sete jurados entenderam que não poderia ser exigida outra reação da ré diante da situação a que era submetida, atendendo a tese apresentada pela defesa, de inexigibilidade de conduta diversa. Assim o réu não pode ser considerado culpado porque não se pode exigir dele, um ser humano, uma conduta excepcional diante de uma situação de coação ou pressão psicológica muito grave.
O Tribunal de Justiça de Pernambuco, iniciou o julgamento por volta das 10h30 na 4ª Vara do Júri do Fórum Thomaz de Aquino, e terminou às 14h.
Fizeram parte do júri quatro mulheres e três homens. Segundo a reforma no Código de Processo Penal de 2008, o juiz deve encerrar a contabilização dos votos dos jurados na sala secreta quando atingem a maioria. Nas informações do processo, a mulher tinha 9 anos quando começou a ser violentada pelo pai, um agricultor, com quem teve o primeiro filho aos 14 anos.
O assassinato teria ocorrido quando a ré teria descoberto que o pai pretendia violentar uma das netas, que também é filha dele. O crime foi encomendado a dois homens que já foram julgados, condenados e cumprem pena em presídios do estado pela morte.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Siga por e-mail