Google tradutor

Ricardo Eletro

Viaduto desaba sobre caminhões, carro e micro-ônibus em BH

Estrutura era construída sobre a Avenida Pedro I, na Pampulha.
Uma mulher morreu e 22 pessoas ficaram feridas.

Laura de Las Casas e Raquel Freitas Do G1 MG
Viaduto em obras desaba na Avenida Pedro I, próximo à Lagoa do Nado, região da Pampulha, em Belo Horizonte (MG) (Foto: Lincon Zarbietti/O Tempo/Futura Press) 
Viaduto desabou próximo à Lagoa do Nado, na Pampulha (Foto: Lincon Zarbietti/O Tempo/Futura Press)
Um viaduto desabou na tarde desta quinta-feira (3), na Avenida Pedro I, próximo à Lagoa do Nado, região da Pampulha, em Belo Horizonte. Dois caminhões, um carro e um micro-ônibus foram atingidos pela estrutura. A motorista do ônibus morreu no local e, segundo a Secretaria de Estado de Saúde, 22 pessoas ficaram feridas.
 
O viaduto, que saía da Rua Olímpio Mourão e passava sobre a Avenida Pedro I, estava em construção e, segundo a Secretaria Municipal de Obras e Infraestrutura, seria inaugurado neste mês. O acidente aconteceu na Região da Pampulha, onde está o estádio Mineirão, que vai receber uma partida da semifinal da Copa do Mundo na próxima terça-feira (8). A Avenida Pedro I é uma das vias de acesso ao Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins.
As causas do acidente ainda são desconhecidas. O prefeito de Belo Horizonte, Marcio Lacerda, esteve no local do desabamento e disse que ainda é prematuro apurar responsabilidades. "Não sabemos se é falha de projeto ou de construção", disse o chefe do Executivo, que disse que a administração está empenhada em prestar assistência às vítimas. O prefeito decretou luto oficial de três dias na cidade.

Peritos da Polícia Civil, técnicos da Coordenadora Municipal de Defesa Civil (Comdec) e militares do Corpo de Bombeiros estavam no local até o início da noite desta quinta-feira para avaliar a situação. O resgate do carro que ainda estava embaixo da estrutura de desabou deve ser feito durante a noite porque há a possibilidade de o dono estar preso nas ferragens. Os bombeiros e a secretaria consideram uma morte presumida, além da confirmada, que seria o motorista deste carro. Os dois caminhões antigidos estavam vazios e todos os feridos eram passageiros do micro-ônibus.
Um pelotão de 35 militares do Exército está no local para ajudar na retirada do viaduto que está sobre a Avenida Pedro I e para liberar a via.
Um segundo viaduto também está sendo construído ao lado do que desabou. Segundo o Corpo de Bombeiros no local, uma vistoria verificou que a estrutura deste segundo elevado foi abalada com a queda do primeiro. Partes do viaduto foram escoradas para evitar novos desabamentos.
A Construtora Cowan, responsável pela obra, lamentou o acidente em nota e disse que iria prestar apoio às vítimas. "A Cowan lamenta profundamente o ocorrido com o viaduto sobre a Avenida Pedro I. Neste momento, a prioridade é o apoio às vitimas e aos familiares. A empresa informa que já enviou ao local a equipe técnica para iniciar as investigações", informava a nota.
A obra faz parte da meta 2 do Plano de Mobilidade do BRT, que seria usada durante a Copa do Mundo. Segundo a Secretaria Extraordinária da Copa, a Secopa, a construção tem verba federal, mas era executada pela Prefeitura de Belo Horizonte. O valor desta etapa da obra é de R$ 460 milhões e, até agora, já foram executados R$ 445 milhões. G1
 


Vítimas e testemunhas
A motorista do ônibus era Hanna Cristina Santos, de 25 anos. Ela tinha uma filha de cinco anos, que estava dentro do veículo no momento do acidente. (Veja ao lado flagrante do momento do resgate) O ex-marido de Hanna, Ederson Elisiano, esteve no Hospital Risoleta Neves para ver a filha. Ele contou que a criança faz aniversário na próxima semana. “Eu não sei como vou fazer, pois ela é muito apegada a mãe”, disse. A menina não se feriu com gravidade.
Ex-marido fala sobre morte de motorista em queda de viaduto em Belo Horizonte (Foto: Laura de Las Casas/G1) 
Ex-marido fala sobre morte de Hanna Santos
(Foto: Laura de Las Casas/G1)
Renata Soares, de 18 anos, estava com a irmã dentro do ônibus que foi atingido pela estrutura. Elas iam passear em um shopping. Renata contou que as duas estavam assentadas na parte de trás do veículo. Renata machucou o nariz com a pancada. “Na hora que vi o viaduto caindo, achei que ia acontecer o pior, que a estrutura ira se virar para cima do ônibus”, disse. Apesar do ferimento, as duas passam bem.
Elson Brito, de 57 anos, estava na janela do apartamento onde mora, em frente ao viaduto, quando a estrutura caiu. Segundo ele, foi "muito barulho e uma poeira ensurdecedora". Segundo ele contou ao G1, muitos operários trabalhavam no momento do acidente, e vários conseguiram correr. Ele disse ter visto um carro, um caminhão e o micro-ônibus debaixo do viaduto.
Copa do Mundo em Belo Horizonte
A seleção da Argentina, que está concentrada na Cidade do Galo, na cidade de Vespasiano, passou pela Avenida Pedro I, e por baixo do viaduto que desabou hoje, no dia 21 de junho para chegar ao Mineirão no dia que jogou contra o Irã. As outras seleções que jogaram em Belo Horizonte usaram outras vias para chegarem até o estádio.
Outro viaduto
Em 6 fevereiro deste ano, um outro viaduto sobre a Avenida Pedro I, próximo á Rua Montese, chegou a ser interditado após verificação de um deslocamento lateral na estrutura. A obra, que estava em construção, também era de responsabilidade da Cowan. No dia seguinte, a Prefeitura de Belo Horizonte divulgou que não havia risco de desabamento da obra.
Viaduto desaba na Avenida Pedro I (Foto: reprodução GloboNews) 
Viaduto desaba na Avenida Pedro I (Foto: reprodução GloboNews)
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Siga por e-mail