Google tradutor

Ricardo Eletro

Protesto nos 12 anos das obras do metrô

Roberta Cerqueira
Uma celebração de brincadeira com objetivo de chamar a atenção para um assunto sério. Esta foi a ideia dos estudantes que organizaram via internet e comemoraram ontem o aniversário de 12 anos do metrô de Salvador, com direito a bolo, parabéns e narizes de palhaço,  no canteiro central da Avenida Bonocô.
Aproveitando o Dia do Estudante, alunos de diversas instituições e membros de associações de moradores se uniram para manifestarem-se contra a demora na conclusão do único metrô da capital baiana. “Este metrô é uma vergonha, uma piada nacional”, declarou Cícero Cotrim, de 16 anos, mentor da mobilização, que segundo ele, nasceu há cerca de duas semanas durante uma aula de sociologia e depois se espalhou pelas redes sociais.
Através da internet, Cícero e amigos  conseguiram mobilizar milhares de pessoas. Mais de 11 mil internautas manifestaram apoio ao movimento via facebook e no twitter, a tag #12anosmetrossa esteve entre os tópicos mais citados de Salvador, com críticas aos políticos e brincadeiras irônicas por parte dos internautas.
No final da tarde de ontem, cerca de 150 pessoas se reuniram no canteiro central da Av. Bonocô e bloquearam parcialmente a via no sentido Iguatemi. Com faixas, cartazes, apitos e narizes de palhaços, os manifestantes utilizaram carros de som e panfletos para chamar a atenção da população. O congestionamento, iniciado na altura da Le Biscuit, ultrapassou o túnel Américo Simas, que liga a avenida ao bairro do Comércio e ainda casou lentidão no Vale de Nazaré e Dique do Tororó.
Além dos estudantes, membros de associações de moradores de Cajazeiras, Mussurunga e adjacências marcaram presença no protesto e caminharam junto aos estudantes. “Primeiro, disseram que o metrô iria até Cajazeiras, depois resolveram construir um outro metrô na Avenida Paralela, para atender aos ricos e nós, que precisamos deste meio de transporte, estamos abandonados”, disse Evanir Borges de Araújo, presidente da União das Associações de Moradores e Entidades representativas de Cajazeiras e Adjacências,  ressaltando que se for até Cajazeiras, o metrô irá beneficiar cerca de 1,5 milhão de pessoas.
Em 12 anos de obras, foram gastos mais de R$ 550 milhões, em 6,5 quilômetros que ligam a Estação da Lapa à Rótula do Abacaxi, mais os 10% já construídos da segunda etapa (Rótula do Abacaxi-Estação Pirajá), mas, segundo a prefeitura, precisa de mais R$ 28 milhões para entrar em funcionamento.
Em 2010, a Polícia Federal encontrou indícios de irregularidades envolvendo as empresas do consórcio responsável pela construção do metrô, a Metrosal. Foram identificados desperdício de recursos púbicos, superfaturamento, falhas na licitação e execução dos trabalhos, o que obrigou a investigação pelo Ministério Público Federal e a abertura de uma CPI na Assembleia Legislativa da Bahia. Nem o MP nem os parlamentares obtiveram sucesso nas investigações, pois o Supremo Tribunal de Justiça considerou ilegais as provas adquiridas por meio de escutas telefônicas. 

Tribuna da Bahia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Siga por e-mail