Google tradutor

Ricardo Eletro

Proprietária terá que providenciar demolição de prédio, diz Sucom

Dona do imóvel tem prazo de 15 dias para realizar procedimento seguro.
Estrutura e casas vizinhas foram interditadas por risco de desabamento.

Prédio em São Marcos (Foto: Reprodução/TV Bahia) 
Prédio em São Marcos pode desabar a qualquer
momento (Foto: Reprodução/TV Bahia)
A Superintendência de Controle e Ordenamento do Uso do Solo do Município (Sucom) notificou a proprietária do prédio que tem ameaça de desabamento no bairro de São Marcos, em Salvador. O documento, segundo o órgão municipal, foi entregue a um familiar da proprietária porque ela não foi encontrada no local na noite quinta-feira (13).
De acordo com notificação, a proprietária terá que providenciar a demolição da unidade dentro de um prazo de 15 dias, com base no que determina o Art. 58, parágrafo 1º, da Lei nº 3.903/88, através do Código de Obras do Município.
O prédio e imóveis vizinhos foram interditados na quarta-feira (12), já que corriam o risco de desabamento. Ainda de acordo com a Sucom, a proprietária deverá contrarar uma empresa especializada e a demolição deverá acontecer com a presença de um engenheiro e técnicos.
A Superintendência informa ainda que fiscais do órgão estiveram no local na manhã desta sexta-feira (14) juntamente com uma equipe da Codesal para o monitoramento da situação.
Objetos retirados

Prédio em São Marcos (Foto: Reprodução/TV Bahia) 
Moradores retiraram objetos de prédio no bairro de
São Marcos (Foto: Reprodução/TV Bahia)
Moradores do prédio de cinco pavimentos interditado na quarta-feira, voltaram ao edifício no dia seguinte para recuperar objetos. "O que nós podíamos salvar, nós salvamos. A autoridade já lacrou o prédio", disse um dos moradores.
Angélica Silva morava no primeiro andar do prédio. Ela estava saindo para trabalhar quando ouviu alguém dizer que era para desocupar o imóvel correndo. Ela não conseguiu tirar nada de dentro de casa. "Tá tudo lá dentro. Só peguei algumas roupas que eu consegui hoje pela manhã, porque o engenheiro disse que eu podia ir pegar. Tem móveis, tem tudo. Está tudo lá", disse.
"A única alternativa é a demolição da edificação. Quanto a alguns imóveis, como um imóvel laranja, vizinho ao prédio, que já está com a estrutura condenada, também será demolido", explicou o sub secretário da Defesa Civil, Osnir Bonfim.
As casas que ficam no fundo do prédio também tiveram que ser desocupadas, de acordo com orientação da Defesa Civil.
O padeiro Moabo Alves e a esposa Ana Paula conseguiram retirar do prédio alguns móveis e parte de alguns equipamentos de um salão de beleza que ela mantinha no prédio. "Eu vou ter que procurar uma outra casa, eu vou ter que recomeçar. Eu abandonei algumas coisas lá porque a Defesa Civil não me deixou entrar, quer dizer, eu vou ter que comprar outras coisas e recomeçar", disse emocionado. G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Siga por e-mail