Google tradutor

Ricardo Eletro

Caminhão invade lava jato e para dentro de salão em Contagem

Segundo PM, motorista não é habilitado para dirigir este tipo de veículo.
Corporação informou que condutor fazia serviço de limpeza para a prefeitura.


Caminhão parou dentro de um salão em Contagem (Foto: Pedro Cunha / G1 MG) 
Caminhão parou dentro de um salão em Contagem (Foto: Pedro Cunha/G1)
Um caminhão bateu em um lava jato e parou dentro de um salão nesta quarta-feira (2) em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. De acordo com a Polícia Militar (PM), o motorista não estava habilitado para dirigir este tipo de veículo. A Carteira Nacional de Habilitação (CNH) dele é tipo B, que permite dirigir apenas veículos de passeio.
Ainda segundo a PM, o caminhão fazia serviço de limpeza para a Prefeitura de Contagem. O G1 entrou em contato com a assessoria da administração municipal e, até as 15h40, não havia recebido o retorno.

O salão estava vazio no momento do acidente (Foto: Pedro Cunha/G1 MG) 
O salão estava vazio no momento do acidente (Foto: Pedro Cunha/G1)
A polícia informou que o motorista, de 62 anos, o disse que desceu do caminhão e, depois disso, o veículo perdeu o freio e começou a descer a rua. Ele conseguiu entrar, fez a curva na Avenida Alvarenga Peixoto, bateu no lava jato e parou somente quando atingiu a lateral de um salão de beleza, que não funcionava nesta quarta-feira.
Um casal que estava dentro do local ficou ferido. O homem sofreu escoriações pelo corpo e o motorista teve um corte na cabeça. A polícia não informou o estado de saúde da mulher. Todos os feridos foram levados para o Hospital de Pronto-Socorro João XXIII, na capital mineira. A Defesa Civil foi acionada para fazer uma avaliação da estrutura do prédio.

‘Achei que o prédio ia cair’
A dona de uma loja que funciona ao lado do salão de beleza, Valéria de Abreu Silva, disse que se assustou com o estrondo. “Achei que o prédio ia cair”, falou. O caminhão ficou a menos de um metro de atingir a divisão entre as lojas. Ela contou que assim que viu a batida ligou para a proprietária do salão, Ana Paula Caetano.

A comerciante de 27 anos explicou que só não abriu o local, pois achou que o movimento seria pequeno. Segundo ela, o salão, que funciona há sete meses, recebe, normalmente, um grande número de clientes. G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Siga por e-mail