Google tradutor

Ricardo Eletro

Governo do RN decreta nova situação de emergência devido à seca


Segundo Defesa Civil, novo decreto é mais abrangente que o anterior.
Número de municípios assolados pela seca passa de 139 para 144.


Cemitério de animais mortos pela seca em Lajes, RN (Foto: Rafael Barbosa/G1) 
Cemitério de animais mortos pela seca em Lajes, RN (Foto: Rafael Barbosa/G1)
O Governo do Rio Grande do Norte publicou um novo decreto de situação de emergência nos municípios assolados pela seca. O novo decreto, publicado no Diário Oficial do Estado (DOE) de sábado (16), aumenta o número de municípios afetados pela falta de chuvas, que passa de 139 para 144 - 86% do total de 167 cidades potiguares. G1

"O decreto anterior tratava da estiagem. O novo decreto é mais abrangente, pois trata dos efeitos dessa estiagem que se prolonga no Rio Grande do Norte e ainda analisa a previsão de que ela irá continuar pelos próximos meses. Passamos de estiagem para seca. O quadro tende a agravar-se à medida que se intensifica a escassez hídrica na zona rural", explicou o tenente-coronel Josenildo Acioli, coordenador estadual de Defesa Civil.
O novo decreto, de número 23.288, leva em consideração que já está sendo operacionalizado o racionamento de água nos municípios do RN e que já está afetado o abastecimento de água para a produção agrícola e pecuária, e ainda para o consumo humano e animal.
Segundo o decreto, um levantamento realizado pela Secretaria de Estado da Agricultura, da Pecuária e da Pesca (Sape) relata que os prejuízos provocados pela seca no Rio Grande do Norte chega aos R$ 4,851 bilhões.
O Governo diz ainda que "as pancadas de chuvas de inverno até o presente momento foram insuficientes para a formação de estoques de água nos principais reservatórios; açudes, tanques, poços tubulares, barreiros e principalmente cisternas, importante recurso para o suprimento da população rural com água potável".
O decreto assinado pelo governadora Rosalba Ciarlini entrou em vigor no sábado (16) e é válido por 180 dias.
Os 144 municípios afetados pela seca, de acordo com o novo decreto, são: Acari, Assu, Afonso Bezerra, Água Nova, Alexandria, Almino Afonso, Alto dos Rodrigues, Angicos, Antônio Martins, Apodi, Areia Branca, Baraúnas, Barcelona, Bento Fernandes, Bodó, Brejinho, Boa Saúde, Bom Jesus, Caiçara do Norte, Caiçara do Rio do Vento, Caicó, Campo Redondo, Caraúbas, Carnaúba  dos Dantas, Carnaubais, Cerro-Corá, Coronel Ezequiel, Campo Grande, Coronel João Pessoa, Cruzeta, Currais Novos, Doutor Severiano, Encanto,  Equador, Felipe Guerra, Fernando Pedroza, Florânia, Francisco Dantas, Frutuoso Gomes, Galinhos, Governador Dix-Sept Rosado, Grossos, Guamaré, Ielmo Marinho, Ipanguaçu, Ipueira, Itajá, Itaú, Jaçanã, Jandaíra, Janduís, Japi, Jardim de Angicos, Jardim de Piranhas, Jardim do Seridó, João Câmara, João Dias, José da Penha, Jucurutu, Lagoa Nova, Lagoa Salgada, Lagoa d'Anta, Lagoa de Pedras, Lagoa de Velhos, Lajes Pintadas, Lajes, Lucrécia,  Luís Gomes, Macaíba, Major Sales, Marcelino Vieira, Martins, Messias Targino, Monte das Gameleiras, Monte Alegre, Mossoró, Nova Cruz, Olho d’Água dos Borges, Ouro Branco, Passagem, Paraná, Paraú, Parazinho, Parelhas, Passa e Fica, Patu, Pau dos Ferros, Pedra Grande, Pedra Preta, Pedro Avelino, Pendências, Pilões, Poço Branco, Portalegre, Porto do Mangue, Serra Caiada, Rafael Fernandes, Rafael Godeiro, Riacho da Cruz, Riacho de Santana, Riachuelo, Rodolfo Fernandes, Ruy Barbosa, Santa Cruz, Santa Maria, Santana do Matos, Santana do Seridó, Santo Antônio, São Bento do Norte, São Bento do Trairi, São Fernando, São Francisco do Oeste, São João do Sabugi, São José do Campestre, São José do Seridó, São Miguel de Touros, São Miguel, São Paulo do Potengi, São Pedro, São Rafael, São Tomé, São Vicente, Senador  Elói de Souza, Serra Negra do Norte, Serra de São Bento, Serra do Mel, Serrinha dos Pintos, Serrinha, Severiano Melo, Sítio Novo, Taboleiro Grande, Taipu, Tangará, Tenente Ananias, Tenente Laurentino Cruz, Tibau, Timbaúba dos Batistas, Touros, Triunfo Potiguar, Umarizal, Upanema, Venha-Ver, Viçosa e Vera Cruz. G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Siga por e-mail