Google tradutor

Ricardo Eletro

Adriana Bombom vai processar hotel Pestana por preconceito racial

 
 
A noite de sexta-feira (27), não acabou nada bem para Adriana Bombom. A apresentadora alega ter sido vítima de preconceito racial ao tentar fazer o check-in no Hotel Pestana, em Salvador. Em conversa com o EGO, Bombom contou que chegou ao hotel por volta das 4h da manhã, depois de participar do lançamento do clipe da música "Colchão Fest", da banda de Tony Salles, é que foi informada de que não havia reserva em nome de uma de suas contratante, Janaína Lima, da empresa Mix Produções.
Mesmo sabendo que se tratava de um engano, a apresentadora disse que tentou abrir uma nova reserva, já que havia quartos disponíveis no hotel. Mas, segundo Bombom, o gerente Ricardo Santos não aceitou o pagamento dos R$ 370,00 em dinheiro, e solicitou um cartão de crédito. Como não dispunha do mesmo, a apresentadora ligou para um dos contratantes, Léo Alves, que se dirigiu ao local e resolveu o caso já perto das 6h30m da manhã de sábado.


"Foi um constragimento horrível. Primeiro porque não me deram nem um 'boa noite' ou um 'bem-vindo' quando cheguei. Depois, porque fiquei mais de uma hora e meia em pé, esperando para conseguir dormir. Me trataram com muita indiferença", disse Bombom.


O preconceito racial aconteceu, segundo a apresentadora, quando um casal de "estrangeiros loiros, de pele clara" passou sua frente e conseguiu se hospedar sem qualquer dificuldade. "O gerente do hotel pediu para que eles subissem e aguardassem, no quarto, um mensageiro do hotel para fazer o check-in. Perguntei se o caso deles era especial porque eles eram loiros. O gerente respondeu: 'é, esse é o nosso Brasil'", contou Léo Alves ao EGO, por telefone.


Segundo o contratante, o caso só se resolveu quando ele conseguiu um cartão de crédito, de onde foi debitado o valor de R$ 500,00. "Eles não souberam me explicar por que o valor passou de R$370,00 para R$500,00. Disseram apenas que era uma norma da casa", disse Léo, que ajudará Bombom a dar entrada no processo "no primeiro horário de segunda-feira, 30". "Temos três testemunhas que já se prontificaram para depor. O Tony e a Scheila Carvalho já estão cientes e muito decepcionados com o que aconteceu", contou.


A versão do hotel

A assessoria do Hotel Pestana, que fica no Rio Vermelho, em Salvador, negou que tenha agido com preconceito em relação a Adriana Bombom, disse que ela saiu do local sem pagar a conta e deu sua versão dos fatos em conversa com o EGO.
A assessora, que não quis se identificar, contou que o gerente não encontrou a reserva que estava no nome de Janaína Lima porque ela saiu do sistema por falta de confirmação da hospedagem, que deveria ter sido feita até as16h de sexta-feira, 27. Ainda segundo ela, Bombom e Wagner - o secretário da apresentadora, que a acompanhava - pediram quartos separados para dormir, mas não tinham dinheiro suficiente para pagar pelos mesmos. Por isso, foi solicitado um cartão de crédito, que não foi autorizado para débito.
Mesmo assim, o hotel alega ter feito uma pré-autorização e permitido que Bombom subisse para descansar no quarto, enquanto Wagner continuava tentando resolver a questão do pagamento. O resultado, segundo a assessora do Pestana, foi que os dois deixaram o local sem pagar a conta.
Ela explicou também que o casal estrangeiro que, segundo Bombom, passou sua frente na fila do check-in, estava na boate do hotel e que subiu para o quarto para conhecer as dependências antes de fechar a hospedagem. "Isso nunca aconteceu aqui. Já recebemos diversos artistas negros, de todas as raças, e até presidentes, como a Dilma Rousseff e o Lula", defendeu-se a assessora, que não quis dizer o valor da conta que não foi paga pela apresentadora e Wagner.
Desabafo de Bombom no TwitterDesabafo de Bombom no Twitter
"Boa tarde amados. Estou indo embora de Salavador-BA, uma terra que eu amo, muito triste. Como pode ainda em nosso Brasil existir preconceito racial? Como vamos receber a Copa do Mundo se ainda, infelizmente, nós, afrodescendentes, somos tratados com indifereça. E eu passei por isso aqui na BA! afrodescendentes. (...) Temos que dar um basta, seja você amarelo, azul, rosa, preto ou branco. Somos todos iguais e não podemos mais ficar passivos nessa situação", escreveu a apresentadora no microblog, na manhã deste sábado, 28. Cajueiro Noticias

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Siga por e-mail