Google tradutor

Ricardo Eletro

Após publicar fotos, professora de Imperatriz vai à Justiça exigir direitos

Professora publicou fotos denunciando condições de sala de aula.
Fotos mostram teto com goteiras e alunos usando guarda-chuvas.

 
A professora demitida de uma escola pública em Imperatriz após publicar nas redes sociais fotos denunciando as condições da sala onde dava aula afirma que já entrou na Justiça para reaver seus direitos.
As fotos mostram o teto da escola Guilherme Dourado cheio de goteiras e alunos usando guarda-chuvas em dia de prova. A denúncia foi feita pela professora de história Uiliene Araújo Santa Rosa, que foi demitida após a postagem.
As fotos publicadas nas redes sociais foram acessadas, até agora, por mais de 20 mil pessoas em todo o país. A maioria critica a demissão da professora.
A direção da escola afirma que a demissão ocorreu porque a professora divulgou as fotos sem antes comunicar o problema da sala de aula e que Uiliane já vinha se desentendendo com boa parte dos funcionários. "Eu já fiquei sabendo pela internet. Ela não teve ética, ela deveria ter tirado os alunos da sala e pedir, mostrar o que estava acontecendo”, disse a diretora Ivone Carvalho.

Após chuva, sala de aula das escola municipal Guilherme Dourado ficou alagada e alunos tiveram que se proteger com guarda-chuvas (Foto: Uiliene Santa Rosa)
Após chuva, sala de aula do Colégio Municipalizado Guilherme Dourado ficou alagada e alunos tiveram que se proteger com guarda-chuvas (Foto: Uiliene Araújo/Arquivo pessoal)
 
A professora, que foi contratada após aprovação em um seletivo realizado pela prefeitura, tem outra versão para o caso. "Quando eu fotografei, eu já fui chamada na direção. Ela [a diretora] perguntou se eu iria publicar as fotos e eu disse que ia. Desde o início ela soube. Eu tenho liberdade de expressão. Ela disse que eu ia queimar a imagem da escola”, afirmou.
A direção da escola, que funciona em dois turnos e tem mais de 600 alunos no ensino fundamental, disse que o prédio passa por uma reforma e que o caso denunciado nas redes sociais é esporádico.
Uiliene Araújo acredita que a demissão foi uma retaliação por causa das fotos publicadas. A professora já acionou a Justiça denunciando a situação da escola para ter seus direitos reconhecidos. Do G1 MA com informações da TV Mirante

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Siga por e-mail